13/03/2017

Reflex§es

Muitos atores no mundo do trabalho (Gestores, Colaboradores...) continuam reclamando da crise como a causadora dos seus infortúnios pessoais e empresariais Eis aqui, em destaque, aspectos do momento, que poderão gerar reflexões e fundamentar novas decisões, tanto por parte de “patrões”, quanto de “empregados”

Seus sentimentos e percepções são de patrão ou de empregado? - Você é Gestor de sua vida e do seu “negócio”, mesmo não sendo o proprietário ou sócio da empresa? Isto faz diferença pra você?

O antigo e cansativo jargão “continuando a fazer como sempre fez, obterá resultados idênticos” (ou até piores), ainda não foi digerido por alguns Gestores embora seus Colaboradores já tenham “sacado” a verdadeira interpretação...

Inovação, criatividade, correr riscos calculados, enfrentar reveses e continuar navegando, ainda são abordagens distantes do vocabulário de Gestores que teimam em continuar na mesmice e reclamando da sorte.

É bom acreditar que sorte é a junção de prontidão com oportunidade. Prontidão é estar preparado sempre, é estar à frente do seu tempo e cavar, gerar, criar oportunidades. E se elas estiverem disponíveis em áreas distintas, saber enxergá-las e criar estratégias para encará-las, usá-las e extrair o melhor que possuam.

E neste início de 2017, como andam suas perspectivas, atitudes, ações, transformações..... ? Esperando “passar o Carnaval” para continuar? Para você continua valendo a cantilena popular que afirma: “O Brasil só começa a funcionar após o Carnaval...” ?
Você Empresário, Gestor, Trabalhador, continua acreditando e agindo segundo essa tradição ? Ou já está fazendo acontecer no seu negócio ? Seus Clientes estão à sua espera ou já migraram para outros fornecedores?

Sem pressa nem correria, mas com perspicácia e energias renovadas, continue checando para onde seu Cliente olha e se antecipe às necessidades que estejam para acontecer. Trabalho não falta. O mercado está ávido por possibilidades ajustadas à realidade do momento. Como sua Empresa está navegando nas “águas atuais” ?